PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES

 

Em alguns anos trabalhando com a medicina chinesa em geral, observei que existem muitas dúvidas sobre a acupuntura. Possivelmente pela diferença cultural entre ocidente e oriente.
As dúvidas e as perguntas mais freqüentes são as seguintes:

1) Acupuntura dói?

- Acupuntura não dói. Ou pelo menos não é pra doer.
O que se sente é uma sensação de "choquinho" quando a agulha penetra corretamente no ponto. Os chineses chamam essa sensação de "ribiki" ou chegada de energia.
É essa sensação (que cessa segundos após a colocação da agulha) que faz o seu organismo responder ao tratamento. Sem esse "choquinho", o tratamento não tem efeito (salvo algumas raras exceções).

2) Sai sangue quando fura com a agulha?

- As vezes sim. Mas o mais comum é não sair sangue.
Normalmente a inserção correta da agulha não produz sangramento, e quando produz, esse somente se observa após a retirada da agulha. Na prática diária, observa-se que 90% dos pontos não sangram. Quando ocorre sangramento, não passa de uma gota.

3) Pega-se doença fazendo acupuntura?

- Curam-se doenças fazendo acupuntura.
A prática bem realizada da medicina chinesa é inócua à saúde.
Um material esterilizado e livre de contaminação é essencial não só na acupuntura como em qualquer prática onde se penetre o corpo humano, até mesmo numa manicure.
Normalmente usa-se material descartável ou um kit de uso pessoal, com o qual o paciente não terá risco algum.

4) É verdade que acupuntura emagrece? Quantos kilos dá pra perder?

- A acupuntura não tira um só grama de você. O que se faz com a acupuntura no tratamento de obesidade é regular um organismo completamente desorganizado e mal acostumado.
Com a acupuntura é possível regular o metabolismo, amenizar a ansiedade, equilibrar a compulsão por comida, fazer o organismo eliminar melhor as toxinas e com isso perder peso.
Não existe mágica para perder peso, mas a acupuntura é muito recomendada pelo sucesso nos tratamentos de obesidade exatamente por fazer um trabalho completo, sem contra indicações e sem riscos à saúde do paciente...bem diferente do que se observa nos tratamentos com fórmulas à base de benzodiazepínicos associados a anfetaminas.

5) Acupuntura cura impotência sexual?

- A acupuntura é um excelente coadjuvante nesse tipo de tratamento.
Existem dois grandes tipos de impotência: orgânica e psicológica. A acupuntura ajuda muito na primeira e contribui com excelência na segunda.
Na impotência por motivos orgânicos, o tratamento ajuda o paciente a equilibrar melhor o funcionamento do organismo que passará a distribuir melhor a sua vitalidade, melhorando dessa forma o seu vigor sexual.
Na psicológica, a acupuntura faz o papel de coadjuvante do tratamento psicológico. Nesses casos, a acupuntura contribui diminuindo a ansiedade desse paciente fazendo-o assimilar melhor o tratamento principal, e com isso oferecendo melhores condições de uma cura mais rápida.

6) Acupuntura faz parar de fumar?

Não. Quem para de fumar é o fumante. A acupuntura apenas age em determinadas áreas do cérebro, inibindo parte do mecanismo do vício e também contribuindo na amenização da chamada "síndrome de abstinência". Usa-se muito a técnica de "desmame", largamente utilizada em tratamentos de viciados em drogas pesadas.
É sempre bom lembrar que a nicotina é uma droga e vicia.

7) Quantas sessões de acupuntura são necessárias para um tratamento completo?

- Depende do tratamento e depende do problema a ser tratado.
Uma dor recente leva menos tempo pra se debelar, enquanto uma dor mais antiga nos consome mais tempo devido a esta já se encontrar em "comunhão" com o corpo do paciente.
Não existe regra para um tratamento, mas comumente 15 sessões costumam resolver a maioria dos problemas osteo-musculares. Patologias de ordem neurológica requerem mais tempo de tratamento.

8) Se eu começar a fazer acupuntura, vou ter que fazer pra sempre?

- Não. Nada é para sempre.
A acupuntura equilibra o seu organismo e devolve a você a integridade fisiológica perdida. Tão logo o paciente se recupera, ele recebe alta e só retorna quando novamente for necessário.